Não deixe levar o que você suou para conquistar!

icone-brasaoSeguros Viagem

Por que adquirir o seguro viagem?

Quando estamos planejando uma viagem, geralmente o aproveitamento do tempo em que estaremos fora de casa é nosso maior foco. Queremos desfrutar cada minuto, seja a viagem para lazer, trabalho, estudos, visitas a parentes e amigos ou para turismo.

Assim como em um negócio, no qual se calcularmos somente os lucros e não prevermos os prejuízos que possam ocorrer teremos grande chance de insucesso, também em relação à nossa viagem teremos que prever o inesperado.

Em uma viagem, muitos aspectos devem ser considerados, tais como idade e quantidade de passageiros, duração, distância da residência e riscos a serem analisados de acordo com as atividades previstas. Por isso, o seguro viagem pode ser configurado com as mais diversas coberturas, e, visto que ele corresponde, na maioria dos casos, a menos de 5% do valor da viagem, uma boa dica é dedicarmos um pouco de tempo para planejar todos os detalhes da aventura fora dos limites da sua casa, para também prever os riscos e situações inusitadas que poderemos enfrentar.

Faz-se necessário, então, buscar informações sobre as coberturas específicas para o seu caso e fazer um seguro sob medida para você e sua família, sempre lembrando: cobertura demais é desperdício de dinheiro e de menos é risco desnecessário.

Na última década, a procura por seguro viagem no Brasil passou de 10 milhões para 33,5 milhões, de acordo com a Susep (Superintendência de Seguros Privados). A Travel Ace, empresa no ramo de assistência de viagens no Brasil, constatou em pesquisa que somente 30% dos brasileiros viajam segurados, o que significa que os outros 70% dos viajantes estariam descobertos no caso de um incidente. Pense nisso!

E Quanto ao destino DA VIAGEM?

 Com o aumento do poder aquisitivo da classe média brasileira na última década, o número de viagens dentro do Brasil aumentou consideravelmente. Em virtude do idioma local e de terem direito ao SUS, nas viagens nacionais, os brasileiros têm contratado seguros viagem com coberturas mais básicas, como as referentes à invalidez por acidente, morte, assistência médica, odontológica e farmacêutica com valores mais restritos e extravio de bagagem. É importante lembrar que, por exemplo, apenas uma consulta de urgência em um hospital particular poderá custar mais que o seguro e todas as coberturas por ele oferecidas.

Para viagens internacionais e destinos mais isolados, os planos de coberturas mais básicos não são recomendados, pois uma simples consulta pode custar caro para estrangeiros, sem considerar a dificuldade maior para consegui-la, e os obstáculos a serem enfrentados: idioma diferente, poucas pessoas conhecidas no local, falta de informações sobre a localização dos hospitais e dos meios de deslocamento rápido até eles, sobre a localização e o funcionamento dos órgãos onde atuam as autoridades locais e sobre os procedimentos para resolver casos que vão desde um simples extravio de bagagem até um repatriamento de corpo, em caso de morte.

Os seguros comercializados em agências de viagem, em razão do preço fechado em acordos com as seguradoras, vêm com um formato pré-definido e, muitas vezes, não apresentam as coberturas necessárias para cada caso. Os seguros comprados com o cartão de crédito podem ser pagos junto com as passagens, mas a cobertura geralmente é a básica, com valores baixos e insuficientes.

Por tudo isso, vê-se como é importante que você conheça a apólice de seguros que adquiriu, para poder cobrar seus direitos, no caso de precisar fazê-lo.

Para viajar em segurança, faça contato com a Lopes Tomazini e adquira um seguro viagem sob medida para você e sua família. Esse produto é muito barato em relação aos custos da sua aventura!

Coberturas mais solicitadas no seguro viagem

- Assistência na pré-viagem, ou seja, da sua casa até o embarque;

- Extravio de bagagens – para viagens nacionais, o teto de indenização é de R$1.500,00, desde que apresentados comprovantes de que a bagagem foi extraviada, roubada ou danificada em posse da companhia aérea, o que exclui a bagagem de mão. O valor pago não equivale ao prejuízo, mas é uma tabela do peso da sua bagagem e, na maioria dos casos, ameniza em muito as perdas. Existe também indenização para atraso na localização da bagagem.

- Assistência médica, hospitalar, fisioterápica, odontológica e despesas farmacêuticas (para eventos ou lesões que são provenientes de um incidente na viagem). No caso de internações por mais de 10 dias, um benefício importante é o pagamento de passagem de ida e volta para o acompanhante, assim como das diárias de hotel. E, se depois do embarque for preciso retornar para casa por motivos de saúde, a seguradora é responsável pelo adiantamento da data da sua passagem, por sua estadia e por outros gastos.

- Cancelamento de viagem – se por motivo de força maior, como doença, morte na família ou acidente, for imprescindível cancelar a viagem, a seguradora, se avisada até dois dias depois do ocorrido, deverá fazer a restituição do valor gasto, se esta cláusula estiver prevista no contrato de seguro;

- Assistência jurídica – nos casos relativos à perda de documentos, transmissão de mensagens, reembolso de despesas de hospedagem e de alimentação quando houver atraso de voo por mais de 18h; e outros.

-Morte ou invalidez – em caso de morte, a seguradora deverá oferecer o translado do corpo, uma funerária no destino, assistência para cumprimento de todos os procedimentos burocráticos referentes à remoção do corpo para o país de origem e cobertura das despesas. 

Itens normalmente excluídos na cobertura oferecida pelo seguro viagem

- doenças preexistentes, congênitas ou crônicas;

- despesas extras no hospital, exceto a diária;

- próteses e tratamento dentários não relacionados a lesões ocorridas durante a viagem;

- doenças ou acidentes causados por uso de álcool e drogas ilícitas;

- acidentes ocorridos em atividades não previstas no seguro.

 

Dicas importantes:

- O seguro viagem deve ser contratado antes da viagem. Um bom seguro deve oferecer um número de telefone de assistência 24h, que tenha atendimento na sua língua materna, para que você possa buscar ajuda quando necessário

- Doenças pré-existentes ou crônicas: a maior parte dos seguros de viagem no Brasil não cobre doenças contraídas antes da contratação do serviço. Esses tipos de doenças devem ser informados à seguradora contratada, para que ela procure a assistência específica para o caso, pois, se não for informada, a seguradora não oferecerá a assistência médica adequada. Esse item é importantíssimo na hora de fechar o seguro, pois nunca se sabe quando o segurado precisará de atendimento.

- Prática de esportes radicais por amadores ou profissionais – em algumas competições internacionais o seguro já se tornou obrigatório. Se o segurado for praticar alguma atividade de risco, deve avisar a seguradora, para que ela procure o tipo de seguro adequado ao caso. Se alguma informação importante for omitida, a seguradora poderá negar a indenização, alegando que a contratação não foi feita de boa-fé.

O SEGURO VIAGEM EM OUTROS PAÍSES

Muitos países já exigem este tipo de seguro, como os que fazem parte do Tratado de Schengen, na Europa, que exigem uma cobertura de pelo menos 30 mil euros para despesas médicas, odontológicas e outras. É o caso da Áustria, Alemanha, França, Hungria, Bélgica, Reino Unido, Holanda, República Tcheca, Irlanda, Itália, Noruega, Portugal, Dinamarca, Espanha, Luxemburgo, etc.

Em Cuba, para entrar no país, deve-se contratar o seguro e levar o comprovante do pagamento para apresentar na fiscalização da alfândega. Nos Estados Unidos e na Austrália, a contratação não é obrigatória, a não ser que você esteja indo para o continente australiano para estudar. Nesse caso, o seguro é um requisito indispensável. No Reino Unido, o seguro viagem é recomendado, mas não é obrigatório, pois, em caso de necessidade de atendimento médico, o turista utilizará o serviço público de saúde sem arcar com nenhum custo.

Nosso empenho É para que esse trabalho seja valioso na sua vida!

 cotacao